Insegurança


É INSEGURO ...

... quem não confia em si mesmo e conseqüentemente não acredita em ninguém.
Na verdade, não confia em seu valor pessoal, não acredita em seu próprio potencial e capacidade de enfrentar as dificuldades e fatos da vida, o que o impulsiona a tendência de
se apoiar nos outros, dependendo que alguém faça aquilo que não acredita ser capaz.

Adultos inseguros geralmente eram crianças cujos pais eram também pessoas inseguras e pelo excesso de zelo ou superproteção não as deixavam livres para errar, escolhendo pelos filhos as roupas que iriam usar, esportes que iriam praticar, brinquedos que deviam brincar, sentimentos que deviam sentir, enfim, escolhiam amigos, profissão, onde o medo sempre se sobrepunha pelo controle e autoritarismo. Crescem constantemente cedendo aos desejos dos outros, deixando que decidam por elas sem levar em conta seus gostos e preferências e quando adultos raramente se permitem ter os próprios desejos e quando os têm, podem sentir uma enorme culpa.

Muitas vezes a pessoa insegura desenvolve muitas máscaras como compensação. Os exemplos são muitos: pessoas que se mostram firmes, autoritárias no trabalho, que desejam controlar tudo a sua volta, querem comandar, quando na verdade estão apenas tentando ocultar sua insegurança. Outros se mostram exageradamente interessados em estarem sempre atualizados sobre todos os acontecimentos, lendo todos os jornais e revistas, assistindo a todos os telejornais e programas, para terem assunto quando na roda de amigos. Homens procuram conquistar mulheres diferentes a cada dia, mas sentem-se incapazes de conquistar aquela que amam.

Pessoas que falam compulsivamente, não dando tempo para serem questionadas, outros apenas ouvem e nem sequer conseguem pensar em expor suas próprias idéias e vontades.

BLZ/Yahoo.


No âmbito da insegurança emocional...
ah, esse medo de perder quem se ama

De repente, surge aquela estranha aflição. Parece que tudo vai bem, vocês se encontram sempre, é bom, gostoso e gratificante, mas lá no fundo há um certo medo de não ser realmente amado(a) e que, talvez, tudo se acabe. Quem sabe uma outra pessoa mais interessante no caminho do(a) parceiro(a) irá aparecer.

Esta sensação de estar sob ameaça constante se chama insegurança. Não se trata de se sentir ameaçado(a) numa rua escura e deserta de uma cidade perigosa. Este é um perigo real. A insegurança emocional nem sempre reflete a realidade.

Ela se caracteriza por um sentimento de inferioridade, de quem não se acha digno de ser amado(a), de que não é possível que alguém ame uma pessoa tão comum e sem atrativos.
A pessoa insegura pensa que certamente surgirá alguém melhor do que ela para o seu parceiro. Ou, que talvez já exista, tentando roubá-lo de si.

Por não acreditar em si mesmo, o(a) inseguro(a) tem a impressão de que, a qualquer momento, perderá o ser amado.


O homem inseguro

O homem inseguro tem uma forte sensação de ser incapaz. Ele irá procurar uma profissão que esteja aquém de suas capacidades para poder sentir segurança de que poderá cumprir as suas tarefas. Talvez ele pudesse fazer muito mais, mas, por insegurança, prefere o caminho mais firme das coisas mais fáceis. Ele jamais vai se aproximar de uma mulher muito bonita, bem-sucedida e desejada.

O inseguro vai desejá-la, mas jamais se sentirá à altura para poder conquistá-la. E, mesmo se ela se interessar por ele, ele não acreditará nesta possibilidade. Tentará uma desculpa para afastar-se. Vai procurar outra menos favorecida com quem ele se sinta mais à vontade. Ao lado de uma mulher exuberante, a sua baixa auto-estima, sua pequenez se agravará e se tornará insuportável.

O homem inseguro vive com ciúmes e até mesmo inveja, muitas vezes disfarçando esse sentimento aparentando uma falsa indiferença pela mulher. No fundo, porém, ele se acha inferior a ela e teme que ela arranje outro melhor do que ele.


A mulher insegura

A insegurança feminina tem origem no medo de não ser amada e pode afetar tragicamente a sua estrutura emocional. Por não se achar digna de amor, a mulher pode fazer tudo para conquistar pequenas provas de afeição e se transformar numa escrava.

Só que homem nenhum ama uma escrava, apenas a escraviza. Ela vai gastar todas as suas energias fazendo sacrifícios e as provas de amor não virão a contento. A mulher insegura põe em dúvida até a sua condição feminina. Pode achar o fato de ser mulher uma desvantagem e, assim, viver desconfortavelmente neste sexo. Vai tentar agir com a coragem dos homens, embora seja uma mulher frágil, insegura e carente. Não vai convencer nem a si mesma, muito menos ao seu objeto amoroso.

Paula Lemos

 


Copyright © 2005-2006 Todos os direitos reservados a Dra. Evelyn Vinocur