PSICOSE


A Psicose é um transtorno psiquiátrico. Uma das principais características evidente num indivíduo com esse distúrbio, é a desconexão com a realidade, que se revela em alucinações, delírios, e comportamento inadequado.

Esse tipo de transtorno revela distúbios graves da personalidade em que o funcionamento mental está alterado de tal forma que a pessoa frequentemente não consegue responder às demandas cotidianas da vida, temporaria ou definitivamente, até chegar ao nível de invalidez. Nessa fase, são necessários cuidados especializados e permanentes.

A psicose pode ser causada por predisposição genética, fatores exógenos orgânicos mas desencadeados por fatores ambientais, psicossociais, com acentuadas falhas no desempenho de papéis, na comunicação, no autocontrole, no comportamento da afetividade, na sensopercepção, na memória, no raciocínio, no pensamento e linguagem. Há perda do senso da realidade e da capacidade de testá-la e, em casos extremos, do autoconhecimento, deixando o paciente de cuidar-se no aspectos mais triviais, como a alimentação e a higiene pessoal.

PSICOSE NA ADOLESCÊNCIA

A adolescência é um período de profundas mudanças internas e externas do organismo global, física e mentalmente. É também a idade predileta para a eclosão da maioria dos transtornos emocionais. Entre os transtornos emocionais da adolescência o mais temido é a psicose, tanto por sua gravidade e impacto que produz no entorno do paciente, quanto pelo prognóstico e necessidade de tratamento imediato.

Assim sendo, na adolescência, mais que em qualquer outro período da vida, o médico deve se esforçar, sobremaneira, para estabelecer diagnósticos e prognósticos, com especial zelo para a Esquizofrenia, pois, como sabemos, esta é a idade preferida para o início desse transtorno. Ainda assim, não devemos deixar de suspeitar dos Transtornos do Humor, os quais também aparecem nesta idade e com características bastante enganosas.

Uma das principais preocupações dos psiquiatras de crianças e adolescentes é, sem dúvida, a psicose. O máximo cuidado para o diagnóstico se reforça, primeiro, evidentemente, na importância do tratamento precoce para alívio do paciente e de seus familiares e, em segundo, devido ao risco de evolução incapacitante da doença, cujo momento de maior perigo para seqüelas invalidantes se situa nos dois primeiros anos da psicose.

QUADROS PSICÓTICOS PELA CID 10

Este agrupamento reúne a esquizofrenia, a categoria mais importante deste grupo de transtornos, o transtorno esquizotípico e os transtornos delirantes persistentes e um grupo maior de transtornos psicóticos agudos e transitórios. Os transtornos esquizoafetivos foram mantidos nesta seção, ainda que sua natureza permaneça controversa.
Este agrupamento contém as seguintes categorias de três caracteres no CID 10 :

F20 Esquizofrenia
F20.0 - Esquizofrenia Paranóide
F20.1 - Esquizofrenia Hebefrênica
F20.2 - Esquizofrenia Catatônica
F20.3 - Esquizofrenia Indiferenciada
F20.4 - Depressão pós-esquizofrênica
F20.6 - Esquizofrenia simples
F20.8 - Outras esquizofrenias
F20.9 - Esquizofrenia não especificada
F21 Transtorno esquizotípico
F22 Transtornos delirantes persistentes
F22.0 - Transtorno delirante
F22.8 - Outros transtornos delirantes persistentes
F22.9 - Transtorno delirante persistente não especificado
F23 Transtornos psicóticos agudos e transitórios
F23.0 - Transtorno psicótico agudo polimorfo, sem sintomas esquizofrênicos
F23.1 - Transtorno psicótico agudo polimorfo, com sintomas esquizofrênicos
F23.2 - Transtorno psicótico agudo de tipo esquizofrênico (schizophrenia-like)
F23.3 - Outros transtornos psicóticos agudos, essencialmente delirantes
F23.8 - Outros transtornos psicóticos agudos e transitórios
F23.9 Transtorno psicótico agudo e transitório não especificado
F24 Transtorno delirante induzido
F25 Transtornos esquizoafetivos
F25.0 - Transtorno esquizoafetivo do tipo maníaco
F25.1 Transtorno esquizoafetivo do tipo depressivo
F25.2 Transtorno esquizoafetivo do tipo misto
F25.8 Outros transtornos esquizoafetivos
F25.9 Transtorno esquizoafetivo não especificado
F28 Outros transtornos psicóticos não-orgânicos
F29 Psicose não-orgânica não especificada

 

 


Copyright © 2005-2006 Todos os direitos reservados a Dra. Evelyn Vinocur